+ Valores na Administração

Administrando no Século XXI

A Empresa Viva? 2?

Posted by Sidnei em 08/01/2011

Temos que lembrar que o Sr. Arie, trabalhou por 35 anos na mesma empresa, passou por diversas crises, esteve na gerência de alguns países, principalmente os emergentes, por isso temos que lhe dar bastante credibilidade na sua opinião e em seu livro a Empresa Viva. Como disse anteriormente nesse mês estarei comentando itens importantes dessa obra, livro esse que deve ser estudado por todos!

“Aprendizado começa com a percepção”, é com essa frase que ele inicia o capítulo 2 – A memória do futuro. Percepção nesse caso quer dizer, possuir a sensibilidade, saber agir, ter a presciência do mercado e daquilo que a empresa quer. Imagine as suas últimas decisões em termos de aprendizado, ou do último curso que você fez, quais foram os motivos que lhe levaram a adquirir esse ou aquele conhecimento? Dentre as respostas imagináveis, todas podem se basear no simples fato de ter observado algo de interessante, somou com a sua capacidade e decidiu investir o seu tempo e dinheiro nesse aprendizado, e ainda imaginando o resultado que obteria com isso. Da mesma maneira as empresas agem (já que a empresa é um ser vivo!), para sobreviver e prosperar em um mundo volátil, tem que ter uma gerência sensível ao meio ambiente.

Quando a empresa decide aos poucos mudar o rumo do seu negócio, significa que ela está se modificando interiormente, é uma decisão desafiadora, mas o mais importante é que houve essa análise. Esse é um segredo das empresas longevas! Observe a DuPont: seu portfólio de negócios mudou, no decorrer do tempo, da pólvora para os produtos químicos e hoje possui uma vasta gama de negócios. (http://www2.dupont.com/DuPont_Home/en_US/index.html).

image

 

 

image

 

A maiorias das empresas longevas haviam antecipado a necessidade de mudar, no mínimo uma vez durante a sua vida. Essas oportunidades de mudança vieram de uma crise, ou uma ameaça proveniente do ambiente de negócios( concorrente, novas tecnologias,…). Essas empresas pareciam ter uma capacidade inata de explorar essas crises e transformá-las em novos negócios. Frequentemente observou que alguém de dentro da empresa teve a percepção da iminência da crise, porém não como uma crise, mas sim como uma nova oportunidade, uma rota alternativa para o crescimento e a rentabilidade da empresa. A empresa remodelou seus objetivos e métodos de modo a ficar em sintonia com as demandas do mundo. E a DuPont se encaixa novamente nesse perfil, vejam sua história.

História da DuPont : http://www2.dupont.com/Media_Center/pt_BR/fact_sheet.html

Arie de Geus verifica que existem quatro fatores que diferenciam a Empresa Viva:

image

 

01 – Aprendizado – sua capacidade de adaptação ao mundo exterior;

02 – Persona – Seu caráter, sua identidade e seus valores;

03 – Ecologia – sua forma de se relacionar com as pessoas e instituições, dentro e em torno se si mesma;

04 – Evolução – Seu desenvolvimento no decorrer do tempo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: